Aos 63, Rita Lee faz show para ‘Rolling Stone’ e “reclama” da idade



Na segunda edição do Rolling Stone Live, realizado pela revista Rolling Stone em parceria com a empresa de calçados Converse, Rita Lee foi a responsável por entreter os cerca de 600 convidados que deixaram o calor de suas casas para ir ao clube noturno Pacha, localizado na zona oeste de São Paulo, na gelada noite de terça-feira (28). E, em uma apresentação de pouco mais de uma hora composta apenas por hits, ela conseguiu ao menos espantar o frio que demostrou ter sentido no início do show e até reclamou da sua idade.


A roqueira, que completa 64 anos de idade no final deste ano, subiu ao palco às 22h50 a passos curtos, com ombros e braços encolhidos, mãos nos bolsos e vestindo sobretudo e cachecol. Logo depois da segunda canção do repertório, iniciado com Agora Só Falta Você, Rita explicou o porquê de ter dado as caras ao público de forma tão incomum para uma agitada roqueira como ela. “Quando você vai ficando velha é uma m…., porque eu fico toda assim e vejo no espelho a Madre Teresa de Calcutá”, disse, arrancando gargalhadas dos presentes antes de fazer graça com sua semelhança com Ozzy Osbourne. “Eu e meu irmão gêmeo somos assim: dois dinossauros filhos da p… fazendo rock até hoje”.


Acompanhada por seu marido Roberto de Carvalho e seu filho Beto Lee nas guitarras, Danilo Santana no teclado, Débora Reis e Rita Kfouri nos backing vocals, além do baterista Edu Salvitti e do baixista Brenno Di Napoli, Rita conseguiu levantar a plateia com um set-list bastante selecionado, incluindo Lança Perfume, Erva Venenosa, Bwana, Ando Meio Desligado e até uma releitura do clássico dos Beatles A Hard Day´s Night, coverizada com um arranjo de andamento mais lento que o original.


A escolha das canções obteve o apreço dos paulistanos, que as acompanharam com danças, braços para o ar e coro, principalmente nas baladas mais conhecidas – Doce Vampiro, por exemplo, teve seu segundo verso e seu segundo refrão cantados apenas pelos presentes, deixando a cantora com um largo sorriso nos lábios.


Mas, naturalmente, um show de Rita Lee não pode ser resumido somente à escolha do repertório ou a seus amalucados gestos e danças no palco. Nem às brincadeiras com sexualidade que ela faz usando a língua e o corpo, caso de Erva Venenosa. Afinal, os discursos da sexagenária vocalista de cabelos rosados são sempre um prato cheio para arrancar risadas de seus fãs. “Que saudades do Chacrinha. Ele sim era um gênio”, comentou pouco depois de fazer uma imitação do apresentador José Abelardo Barbosa de Medeiros, morto em 1988. “Depois dele, não veio mais ninguém”.


Aos poucos, a cantora foi se soltando, passando a arriscar alguns passos desajeitados no palco e logo tirando o sobretudo que minutos antes mantinha fechado para amenizar as baixas temperaturas da noite. “Estava aqui pensando, lembrando que está tudo tão bonito por aqui, e fiquei desconfiada”, disse. “Está ficando quentinho, uma maravilha. Aí eu lembro que ainda tem o inverno inteiro para eu pastar. É uma loucura, a Sibéria é aqui! Eu quero o sol do verão!”.


Durante a execução de Ovelha Negra, quando apresentou a banda que a acompanhava, a cantora ainda contou uma história enquanto os quatro estilizados pequenos telões espalhados pelo palco mostravam fotos de sua vida desde a infância até os 63 anos atuais. “Meu pai me disse quando eu era pequena: ‘ou trabalha, ou estuda’. E eu escolhi a música, que não é nem uma coisa, nem outra. Até que me dei bem. Fiz parte de umas bandas boa (sic), mas faltava uma coisa, um ovelho negro”, disse antes de apresentar seu marido e guitarrista, Roberto de Carvalho, “esse carioca gostoso e cheiroso”, em suas palavras.


O evento também contou com a presença de DJ Hunt, discotecando hits dos anos 1980 e 1990 na pista de dança enquanto os presentes aguardavam pela entrada da roqueira. Após o show, ele voltou aos pick-ups, trazendo, desta vez, um repertório mais eletrônico para animar o público madrugada adentro.


Set-list Rita Lee:
Agora Só Falta Você
Vírus do Amor
Saúde
Bwana
Ti Ti Ti
A Hard Day´s Night
Banho de Espuma
Chega Mais
Doce Vampiro
Ovelha Negra
Lança Perfume
Ando Meio Desligado/Mania de Você
Flagra
Erva Venenosa




Por David Shalom publicado no portal Terra em 29/06/2011.



4 comentários para Aos 63, Rita Lee faz show para ‘Rolling Stone’ e “reclama” da idade

  • Alexandre

    RITA LEE EU TE AMO TE ADORO E GOSTO DE TUDO O QUE VC FAZ!!!
    Aì.. diz para esses jornalistas coloca r no ar os teus recsdinhos pra esses malandro que querem acabar coma tua beleza de vida.. beijos!!!

  • Regine de Mônaco

    Rita é sempre tão espirituosa,tem seu público cativo em qualquer lugar que for!É amada e respeitada pela sua trajetória de vida e artística,pena que não estava lá para aplaudi-la muito, saudade de assisti-la novamente!Beijo grande, minha Rainha Eterna!

  • Shirley Marié

    … não é fácil a vida de artista, c aquele friozão, sair do aconchego do seu cantinho, animar a festa p seus fãs… legal, só assim deu uma squentada na noitada monótona de inverno deixou muita gente feliz mesmo, bjs.

  • Shirley Marié

    … não é fácil a vida de artista, c aquele friozão, sair do aconchego do seu cantinho, animar a festa p seus fãs… legal, só assim deu uma squentada na noitada monótona de inverno deixou muita gente feliz mesmo! Um gde beijão de sua fãzona.

Escreva um comentário