A “vidinha de merda” da Rita Lee


ouvi deliciado o novo disco da Rita Lee. Chama-se “Reza” e é possível escutá-lo inteiro aqui neste canal do YouTube.


Rita Lee é a maior compositora do Brasil. E uma das coisas que mais gosto nas criações dela é sua ironia autodepreciativa. A senhora Lee detona deus e o diabo, mas detona ainda mais a ela própria. “Vidinha” prova isso. Rita “toma ansiolítico, em estado crítico” e sua vidinha anda besta, furreca, chinfrim. Enfim, uma vidinha de merda.
olha, se a vida da Rita Lee, que é uma popstar, está uma merda, coitados de nós, que somos ninguém e também tomamos ansiolítico.
em outra canção, “Tô um Lixo”, ela dispara: “Eu vivo pelos cantos feito bicho, eu tô um lixo”. Rita parou de fumar, parou de beber, parou de jogar, parou de ser aquela peste. Nem banho toma mais, trabalho tanto faz e sua cabeça está um jazz.
a minha também, Rita. E eu também “não sei onde estava antes de nascer” e ”não sei pra onde vou depois de morrer”.
Rita Lee deve ter escrito algumas canções sob efeito de sua “Coca-gororoba-Cola” de tão nonsenses. “Humberto Eco, eco, eco, eco/ Alegro, alegro, ma non treppo” canta no refrão de “Tutti Fuditti”. Em outra, chamada “Bagdá”, rima “Saddam Hussein pra lá” com “aiatolá pra cá” e mistura tabule, esfiha, quibe, húmus com… vatapá.
tem ainda a Rita feminista no rock “As Loucas”, petardo contra os babacas machistas que separam as “loucas” das “outras”. Canta: “Eles amam as loucas, mas se casam com outras”. E explica: “Para um jantar, as educadas/ Para um noivado, as comportadas/ Para um negócio, as poucas/ Para uma sacanagem, as loucas”.
tema do personagem de Alexandre Borges em “Avenida Brasil” e sucesso instantâneo, “Reza” é a melhor oração musicada já escrita: “Deus me perdoe por querer que Deus me livre e guarde de você”.
reza de proteção contra qualquer imbecil que tente jogar a sua praga e o seu veneno contra nós. Aos 64 anos, Rita Lee continua afiada e mais “macha” que muito roqueiro brasileiro que vaga por aí com sua “cara de bandido” almofadinha.


Post de Marcos Guinoza publicado no blog O idiota feliz em 07/05/2012.



2 comentários para A “vidinha de merda” da Rita Lee

  • Paulo

    Querida! Amada! Idolatrada! Salve! Salve! Rita Lee.
    Mais uma vez você nos surpreende (e bem!) com o seu novo CD.
    Você disse, no programa do Serginho Groissman que retornaria aos palcos… Eu gostaria muito de ver você retornando, em uma fantástica turnê, junto com a Filarmônica de São Paulo!!!
    Ôrra meu! Vi o show do Scorpions com a Filarmônica de Berlim e acho que, aqui no Brasil, a única pessoa que tem currículo para fazer uma joint venture parecida é você. Fica a sugestão, o carinho e a tietagem.

  • Laerte

    Muito bom, Marcos! Síntese perfeita: do disco, da Rita (personagem)e da vida! Clap, clap!

Escreva um comentário