Música para blogar - Mutante

Dizer “eu te amo” é um fim ou um meio? Ou seja, quando digo “eu te amo” estou querendo fotografar meu sentimento, independente do retorno afetivo (um fim)? Ou estou querendo ouvir do outro (destinatário da frase) a mesma declaração (um meio)? A resposta para esta pergunta é cruel, mas libertadora.

Em “Mutante”, Rita Lee e Roberto de Carvalho (Saúde, 1981) desenham um sujeito que tenta se adaptar (mutante que é) aos revezes da relação com o outro, mas deixa vazar certa amargura motivada pela falta de reciprocidade na entrega dos desejos.

Como é característico na obra de Rita Lee, elementos lúdicos são convidados para montar uma mensagem ao mesmo tempo lúdica e reflexiva. Anel de brilhantes e coração são comparados (postos em equivalência) a fim de indiciar aquilo que é precioso para cada um dos parceiros.

Romântica, o sujeito da canção cobra do outro os mesmos investimentos feitos por ele, indicando um amor que ama para ser amado – romântico. O amor pelo outro é um meio de ter o amor do outro para si. Humano e carente profissional, o sujeito tateia no meio da bugiganga os tais caquinhos de um mundo que ele tentou construir.

Sempre lúdica e irreverente (na tentativa de desobstruir a linearidade assertiva da língua) Rita joga com a sonoridade das palavras – “você não me kiss”, por exemplo – condensando forma e conteúdo e detonando significações outras, para além do que está sendo ouvido: para a escrita. No caso, podemos imaginar o bilhete (dolorido, visto que “um pouco rejeitada”, com “nó na garganta”) de despedida. Afinal, como mutante, “eu passo pra outra”, canta. Não sem antes ameaçar certo roubo.

Análise assinada por Leonardo Davino no blog Música para blogar da MPB FM.

5 comentários para Música para blogar – Mutante

  • Marcelo

    Desde que ouvi Ovelha Negra, durante uma entrevista com o professor de Língua Portuguesa da minha turma de colégio, realizada por colegas muito loucos, em 1972, passei a ser fã desta Mulher mutante.

  • Fábio Vilela

    Tanto o disco Saúde como a canção Mutante considero como exemplos de clássicos na obra da Rita (o que é difícil de apontar já que ela tem tanta coisa boa!). Foi o primeiro LP dela que comprei e depois atualizei para o CD.
    Até hoje tento entender o que se passa na cabeça dessa mulher pra escrever músicas brilhantes assim! Que inveja! Mutante é apaixonante, genial, deliciosa. Excelentes observações!

  • Adoro essa música…tenho esse LP também e acho muito bom,vocês estão de parabéns!

  • Enrique Elson Lee

    Amo de paixão esta música …é como um espelho de mim mesmo…quem nunca se sentiu assim um dia na vida rejeitado e ao mesmo tempo por vingança ou algo assim partindo pra outra ..tentando encontrar e as vezes até encontrando um novo amor..uma nova saída para que a dor de lugar para uma nova alegria nos braços de um novo amor Mutante…

  • Adoro essa música, me identifico muito com ela…amo o disco Saúde, foi o álbum que me iniciou na obra da Rita.

Escreva um comentário