Suspendam os Jardins da Babilônia, dia 14 tem Rita Lee


Rita Lee não sai de moda porque está sempre se reinventando. Politizada, inteligente, língua afiada, repertório criativo.




Quem teve o prazer de escutar as canções dessa moça desde o começo da carreira é privilegiado e sabe que criatividade, versatilidade e elasticidade ela tem de monte. Sem nenhuma dúvida é um dos maiores talentos da nossa música. O bode saiu com a cabra, foram andar a pé e tudo vira bosta, contrastam com meu bem você me dá água na boca. Doce Vampiro, Erva Venenosa, Flagra, Cor de Rosa Choque. Não tem fórmula, é puro talento. A parceria musical Rita Lee e Roberto de Carvalho, produziu e produz sons e letras antenadas.




No próximo dia 14 Rita Lee, canta e toca em Uberlândia. A turnê ETC… pode trazer a cangaceira, a noiva, a presidiária ou Nossa Senhora, vale o que der na telha. Mas vai ter muita música




Rita Lee diz que seu prazer pelo palco permanece intacto quanto a máscara dourada de Tutancâmon e que repertório não falta para mudar o show de infinitas maneiras, mas dá uma dica de favoritas como “Vírus do Amor”, “Banho de espuma”, “Chega mais”, “Atlântida”, “ Orra meu”, “Insônia”. Tem um baú de composições inéditas que ainda vai garimpar e que não há data para lançamento, nem gravadora, nem pressão, nem ansiedade.




Por e-mail Rita Lee respondeu umas perguntinhas básicas que publicamos abaixo sem edição e agradecemos muito a atenção. Se você já conhece taí uma grande chance de curtir ao vivo e à cores, se você ainda não conhece, “orra meu”, vai comprar logo seu ingresso antes que acabe.




Como é viver de música no Brasil?
Pedro querido, trabalhar com música e sobreviver dela durante tanto tempo é um privilégio para poucos, agradeço aos deuses da música por tal graça. Tem muita moçada boa que ainda não teve chance de mostrar seu trabalho, agora com a net tudo fica mais fácil para eles que não precisam depender da má vontade das gravadoras.




O que você vislumbra com a discussão sobre direitos autorais?
A política não deve se meter onde não é chamada, direitos autorais é um exemplo.




Você construiu uma carreira com personalidade e bastante rica no conjunto. Traçando um paralelo, se você vivesse fora do Brasil onde estaria a artista Rita Lee hoje?
Não tenho distanciamento de mim mesma, não sei responder.




O espírito que os festivais da década de 60 exalavam, com uma profusão de talentos e polêmicas, teria espaço no Brasil de hoje?
Os tempos são outros, não há que ficar comparando ou cobrando…tá tudo certo do jeito que está, até o errado está certo.




Com que olhos, coração e mente a Rita Lee cidadã, enxerga o país em que vivemos?
Sempre enxergo o Brasil com esperança, por outro lado vejo a bandidalha que assola Brasília.




Seu ETC… para o público de Uberlândia


ETC… é mais uma apresentação das bilhões que já fiz pelos bailes da vida, sei que o público que vai me ver espera ouvir os hits mais populares e outras que eu resolvo tirar e por conforme a veneta. ETC é uma continuação natural do outro show que estávamos fazendo, uma continuação da vida.posso te jurar que continuo tendo o maior tesão em subir no palco, nada se compara a entreter as pessoas lá de cima. quando o público canta junto, e sempre canta, o prazer que dou e recebo é epifânico. Então, vão lá me ver.

2 comentários para Suspendam os Jardins da Babilônia, dia 14 tem Rita Lee

  • Elisabete de Mello

    O público sempre cantará.
    Rita Lee é imortal.

  • Cecilia

    Mudando um pouco o primeiro parágrafo,eu diria:Rita Lee não sai de moda porque é sempre a mesma. Politizada, inteligente, língua afiada, repertório criativo.
    Adoro a Rita,acho,desde que ouvi sua primeira musica…na adolescencia.Hoje nem sei se adoro mais ainda…só sei que suas musicas mexem comigo,peneram no meu ser!
    Esperando anciosa o dia 28 de Agosto prá cantar junto com ela,na fila do “gargarejo” aqui em Foraleza!

Escreva um comentário