Entrevista ao Diário de Pernambuco


Depois de 45 anos de trabalho com música; de ter assinado trocentas composições; de já ter feito 1 bilhão setecentos e dezenove milhões e setenta mil shows como você diz… O mundo ficou muito repetitivo?


O mundo sempre foi repetitivo, Chacrinha já dizia que nada se cria, tudo se copia.




Você avisa na divulgação que o repertório dos seus shows nunca é fixo, e que nesta turnê você canta suas favoritas como Vírus do Amor, Banho de espuma, Chega mais, Atlântida, Orra meu, Insônia. Além dos clássicos como Baila Comigo e Ovelha Negra, etc# Alguma possibilidade de ter uma música nova no setlist para o show no Recife?


Tudo é possível.




O material de divulgação e as entrevistas da turnê também reforçam que o repertório pode mudar de show para show, de acordo com o seu humor. Como está o humor de Rita Lee?


Muito bom, principalmente depois do horário eleitoral




Esta turnê conta com modernos recursos técnicos, com videocenário, sincronismo entre cenário, luz e música e efeitos especiais e vídeos do videoartista Daniel Todeschi, criados especialmente para cada música através de computação gráfica, com composições digitais ritmadas e animadas, etc…Então, esses recursos não deixam o show bem amarradinho?


Sim e não, existe espaço para improvisar.




Por que foi escolhido o material do artista Daniel Todeschi? Ou por que ele foi escolhido para criar a obra especialmente para o show? Enfim, por que ele?


Porque ele é muito bom no que faz e nós também.




Em Etc…, além das suas músicas, das parcerias, você também faz homenagem aos Tropicalistas, a Michael Jackson e aos Rolling Stones. Como funcionam essas homenagens? Vai ter cover de Michael Jackson no show do Recife? Quem é ele?


Para saber como funcionam, vai lá. Quanto a Michael, num show nosso em Florianópolis, vi alguém vestido de Michael bem na minha frente e eu pirei, pensei que tivesse ressurgido dos mortos. No final do show pedi a alguém ir buscá-lo para ver de perto. Era o gaúcho Nikki Goulart. além de ser realmente parecidíssimo, ele deu uma canja no palco e arrasou. convidei e ele aceitou participar da turnê.




Em 25 de junho fez um ano da morte Michael Jackson. E fãs do mundo inteiro manifestaram sua orfandade. Em que Michael faz mais falta na sua opinião?


Michael foi o maior talento do século 20 e, pelo que pude ver no filme This Is It, ele estava absolutamente impecável, o que me faz concluir que Michael jamais será superado.




Ainda falando do Michael, você assistiu a seus shows, teve algum contato pessoal com o cantor?


Pessoal não, mas babei em 3 show dele ao vivo.




Por que a estreia dessa turnê foi em Belo Horizonte? Algum motivo especial de público, fã-clube ou patrocínio?


Tenho muitos amigos em BH e isso me fez sentir confortável para apresentar um “ensaio geral” da turnê ETC com os possíveis erros de uma estreia, os mineiros sempre me pegaram no colinho e não me vaiam se esquecer alguma letra




Li numa reportagem que você gosta de levar nas turnês travesseiros e lençóis. Quais são suas manias nas viagens?


Essas.




Para se sentirem mais confortáveis, os artistas fazem algumas exigências nas turnês. O que você costuma exigir da produção quando circula com os shows?


Não exijo nada, isso é coisa de artistas metidos a besta. só preciso de água, frutas, queijos e um banheiro limpinho.




Qual o livro que você lê atualmente?


Ando lendo The black mountain de rex stout, um gênio da literatura policial.




O que você acha das imagens que o público faz de você – rainha do rock nacional. Mulher destemida e revolucionária?


Não tenho a menor idéia




Qual a mulher que está por trás disso?


Já fui mãe, tia e agora avó do rock, tem gente que se arrepia quando uma criança/adolescente a chama de tia/tio, não me incomodo com esse tipo de parentesco carinhoso. Uma fã adolescente me disse que eu sou a Emília do Sítio do Picapau Amarelo passando de geração a geração… Achei ótima essa definição. sem dúvida minha cabeça prefere ser a velha sábia de hoje do que a jovem burrinha de ontem.




Na contramão, você gosta de aumentar a idade. Anuncia ter 65 anos, contra os 62 do documento de identidade. Por que isso?


Para me acharem bonitinha pra idade




Você já se sente na terceira idade? Faz algo para cuidar melhor da saúde? Ainda fuma?


Não como cadáveres de animais, o resto a gente segura




Você é mãe de três rapazes Beto Lee, João e Antonio. E agora, como anda sua vida de avó?


O nascimento da Ziza foi um marco zero na minha vida, portanto tenho agora 4 anos e meio. nunca acompanhei o crescimento de uma menina, percebo que Ziza é vaidosa sem ser bestinha, é teimosa sem ser pestinha, é inteligente sem ser geniazinha. Já tive minha cota de cuecas, hoje só quero calcinhas.




Todo mundo interpreta vários papeis durante a vida. E a atuação muda de acordo com o contexto. Mas parece-me que Rita Lee tem papeis bem delimitados. As personalidades de Rita Lee – Gungun, “uma órfã de três anos e meio, carente e chatinha”, a roqueira vampira Lita Ree, a solteirona Regina Célia, o corintiano mulherengo Aníbal – são como os heterônimos de Fernando Pessoa? Como cada uma entra em campo? Você tem mais algum?


Tenho vários, não é mediunidade, é o teatro vivo.




Você diz frases incríveis, de impacto, é amada principalmente pelos jovens por muitas razões, deve fazer tremer os políticos com suas declarações. Você é considerada irreverente, destemida, autocrítica, engraçada, afinada, inteligente, talentosa, debochada, essencial. Mas para você mesma quem é Rita Lee?


Obrigada, mas não tenho distanciamento de mim mesma para me definir.




Numa entrevista que li, você falava que ainda se assusta com a importância que as pessoas dão pra Rita Lee, a que sobe ao palco, quando dizem que sua música ou sua obra mudou a vida desse fã, ou a sua atitude irreverente. Então quem foram seus ídolos? Algum chegou a “mudar” sua vida?


Meus ídolos já morreram.




Quem ainda influencia Rita Lee?


A vida que me cerca.




Você já disse que gosta de novelas e é admiradora de Fernanda Montenegro. Tem acompanhado Passione e o que acha desse folhetim?


Fernandona está maravilhosa como sempre. mas não gosto do sotaque italiano dos personagens.




Num dos seus últimos shows (que está num DVD) você levou Pitty para fazer uma participação especial, na música Ovelha Negra. Você conhece o trabalho de outras cantoras jovens que fazem sucesso, como a Mallu Magalhães, Maria Gadu?


Confesso que estou por fora do que tem rolado de novo, acho Pitty ótima. Certamente existe uma garotada que ainda não teve oportunidade de dizer a que veio, mas agora com a net tudo fica mais convidativo.




Em biograffiti você faz uma das mais lindas declarações de amor ao seu marido e parceiro musical Roberto de Carvalho. Vocês formam o casal mais rock in roll da música brasileira. Você consegue identificar como mantém a química, tanto na vida privada, com na vida pública? Como é tocar há mais de 30 anos com Roberto de Carvalho?Roberto é meu melhor parceiro em todos os sentidos, além de ser lindo, gentil, charmoso e cozinhar bem. sou suspeita porque tirei a sorte grande, meu romance com roberto vem de outras vidas e há de continuar nas próximas.




Na época do lançamento do documentário Loki, de Paulo Henrique Fontenelle, que conta a vida de Arnaldo Baptista, o diretor Fontenelle disse que você não quis gravar um depoimento. Por quê? Parece que você não gosta de falar muito sobre esse assunto, mas ele volta em alguns momentos, nos seus shows, com algum comentário que você faz.


Esse assunto é chato pra caramba, eu bocejo só de pensar.




Qual a sua impressão sobre crise da indústria fonográfica? Como vê as questões da música digital e da pirataria? Fazer show voltou a ser o principal ganha pão do músico?


Felizmente as gravadoras majors estão na UTI. Seria hipocrisia da minha parte achar apropriação indevida do trabalho alheio uma vez que baixo de tudo pela net sem pagar um tostão, os tempos são outros.




Você afirmou num show que não vota nem na Dilma, nem Serra nem na Marina. Quais os defeitos tão graves dessas pessoas como políticos para não merecerem seu voto? Não há opções?


Enquanto o voto for obrigatório, nada vai mudar.




Mas alguém vai ser eleito para governar…


Siammo tutti fuditi




O show Etc… começa com Agora só falta você. Para concluir, o que falta para o Brasil?


A lista é imensa, preciso mesmo responder?




Publicado no jornal Diário de Pernambuco dia 27/08/2010.

2 comentários para Entrevista ao Diário de Pernambuco

Escreva um comentário